quinta-feira, março 26, 2009

aidemim

Momento esquisitofrênico de nem lá nem cá. angústia funda garganta / arranca unha a dentadas
quem se salva na barbárie/
nem eu nem seu nem meu
só sei de mim e mais ninguém
meu carro
meu aparelho celular
meu espírito de porco
meu sono
abandono celular msn blog estrada afora. blog spot.
solidão de ler escrever pra ninguém
de mim para o mundo de ninguém
do fundo do mundo de mim
pra imensidão internet raios ultravermelhos anos luz sem gravidade e ondas sonoras
tenho medo tenho medo tenho medo
medo de ir e de ficar
minha arte insipiente
recipiente de desuso
kit pessoa moderna são paulo século XXI
o que resta / o que resta / o que resta
burgueses da usp não sabem produzir arte
burgueses da usp jamais serão artistas importantes e interessantes
gente desinteressada e desinteressante

2 comentários:

zéza disse...

sofia,você disse TUDO!

LIVIA disse...

já leu ensaio sobre a cegueira? O cego que tateia no escuro a pauta do caderno e registra tudo para quem sabe... um dia... alguém?
não se avexe não, chamando, a gente lê o que você traz do fundo bem fundo da alma...!