quinta-feira, setembro 30, 2010

escrevo pro que der
(se vier)

uma escritora sem leitor


fazedora de palavras que saem caem
e navegam sem destino, mundao virtual adentro
sem ancorar nem fisgar ninguém

estrada afora
estrada foda
afoita

...


aqui tem raposas andando pelas ruas a noite
me assusto porque sao animais selvagens, soltos pela cidade
mas elas se assustam mais comigo do que eu com elas
porque sao selvagens

aqui venta faz frio e é a cidade mais linda que conheci até agora

aqui tem energia forte inexplicável

aqui eu ficaria mais

mas tenho que ir
estrada afora
afoita
agora

2 comentários:

Ali da Paz disse...

num era pra ser, mas foi, fisgou...
me dá olho de amar voo passarim...
uma liberdade assim, azul assim, de horizonte largo. adorei seu blog, se vc quizer eu mado notícias do aqui. outrodapaz@gmail.com

Aline Anfilo disse...

Vc não é uma escritora sem leitor...